sexta-feira, 29 de maio de 2015

bolha


Que saudade estava daqui! Faz bastante tempo que não escrevo, e desde a última vez, muita coisa aconteceu. Incrível como tantas coisas mudaram desde o começo do ano.
Ah, fiz aniversário! E se tem uma coisa que eu amo, é aniversários. É como se ali começasse uma nova fase e eu evoluísse (sim, tipo um pokémon) haha! Não é bem assim, mas gosto de fingir que é.
As vezes paro e analiso tudo ao meu redor: como está a minha vida no momento? Faço isso principalmente no meu aniversário. Bem, no momento a minha vida está uma bagunça calma. A bagunça que sempre foi, mas só fui perceber há um tempo atrás, e a calmaria que ninguém próximo a mim deixou acabar. Claro, durante esse tempo tive momentos agitados, talvez até demais, mas nunca durou muito. Acho que isso foi questão de me aceitar, ter amigos de verdade ao meu redor, perceber coisas (ou pessoas) que sempre estiveram ali, mas eu nunca tinha parado pra conversar de verdade e "ei, quer ser meu amigo?".
Acho que uma das épocas mais "difíceis" da minha vida foi lá pro ano retrasado. Eu tinha acabado de me mudar de São Paulo pro Rio de Janeiro, e tinha colocado na minha cabeça que ia mudar, ia fazer as pessoas gostarem de mim custe o que custar, ia, sei lá, ser popular. Já ouviu dizer que quanto mais popular, maior o mentiroso? Pois, é. Cara, eu fiz uma bolha de mentiras à minha volta, e cada vez mais e mais mentiras para manter as velhas, eu já não me enxergava mais. Manter tudo aquilo era exaustivo, sem contar o medo daquela bolha estourar. Ia estourar de uma vez, um monte de gente ia se molhar... Ah, e tudo isso em vão. Não nasci pra ser popular, sempre fui tímida, não consigo fazer isso.
Então eu mudei de escola, as coisas mudaram, a bolha foi ficando cada vez menor, e percebi a sensação boa que era tirar (quase) tudo aquilo das costas. Fui cada vez mais sendo eu mesma, acho que estou em uma boa fase, pelo menos em comparação à tudo aquilo. A bolha nunca de fato estourou, algumas mentiras ainda estão soltas por aí, algumas ainda me aparecem de vez em quando. Pouquíssimas pessoas me conhecem de verdade, sem realmente nenhuma barreira, e são essas pessoas que eu quero manter por perto, são essas pessoas que é como se fizessem parte de mim.
Sabe o quanto é incrível uma pessoa te conhecer por completo, não haver nenhuma barreira entre vocês? Você poder se abrir sem medo? Isso é maravilhoso.
É, ainda há muito tempo pela frente, espero ter coragem para tornar tudo real.

Com amor,
Isabela.

5 comentários:

  1. Bastante tempo mesmo, dona Bela!

    Oh, feliz aniversário atrasado! :/
    Também adoro aniversários, na verdade qualquer tipo de comemoração mas o aniversário em si é tão especial.

    Já passei por isso que você passou no ano retrasado, mas passei por isso lá em 2009 eu acho. Nunca fui de mentir muito para mim mesma, sempre tive a minha essência, mas às vezes eu simplesmente queria ter mais amigos e as mentiras escapuliam. Hoje em dia tá tudo tão diferente... ♥

    É realmente magnífico quando há certas pessoas que lhe conhecem como se você fosse uma folha em branco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mel! É muito bom poder ser você mesma ♥
      Beijos!

      Excluir
  2. Há quanto tempo não vejo este lugar? Mas é bom saber que retorna e com uma bolha diminuindo cada vez mais.

    Gosto de aniversários, mas prefiro aqueles pequenos, com pessoas da família, e próximo mês será da minha nova prima, ela fará 1 ano. Ah, e parabéns para ti.

    Jamais nasci para ser popular e se sou popular, é apenas para poucos. Só conto mentiras se forem realmente necessárias, também costumo observar a minha vida, em diferentes perspectivas. E senhorita Isa, que coisas melhorem cada vez mais, fez bem em compartilhar isso.

    xoxo | O Lar da Senhorita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Sam! (posso te chamar assim?)
      Beijos! ♥

      Excluir
  3. Já passei por um momento parecido esse ano mesmo. Depois de dois anos estudando em casa, resolvi voltar para a escola e, pasmem, virei uma pessoa que eu odiava. Sei lá, as vezes nem me importo com isso porque durou pouco tempo, sabe? Logo eu me liguei da merda que eu estava fazendo por causa de coisas e pessoas que eu nem queria por perto, mas ainda assim me sinto meio mal com isso vez ou outra. Essas bolhas de mentiras que criamos sempre vão estar ali, te lembrando como é fácil sair do controle, mas eu espero que elas não aumentem mais e, deus me livre, não estourem.

    Abraço,
    literarizei.blogspot.com

    ResponderExcluir